terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Só boba...

  Pergunto como ela está e ela responde: - Mais boba. Não sei exatamente o que ela quis dizer, a resposta veio numa mensagem: "mais boba" e só.  Acho que está bem. Ser boba é bom, não é? Eu acho. Melhor do que ser esperta, inteligente ou sagaz é ser boba. Mas boba com consciência da sua bobeira, meio-boba. Não boba o suficiente para enganarem-na ou passarem-na para trás ou, ainda, aproveitarem de uma fragilidade sua. Mas boba o suficiente para perceber tais intenções e não ligar tanto. Não se martirizar, dramatizar, "chorar as pitangas", achar que o mundo é só perversidade por isso. Mas rir da situação, porque satisfação de boba é riso fácil, desenrolado e imprevisível.

  A boba, ou a meio-boba,  não  se ocupa com aquilo que não lhe diz respeito, não se preocupa com o que não pode mudar, não insiste em assumir todas as questões do mundo, porque a boba sabe que não é este o seu papel. Papel de boba é rir, é observar, é aprender, é se ocupar, mas nunca se preocupar. A boba não assume a responsabilidade de todos sozinha, porque a boba, boba mesmo, é humilde e reconhece a sua incapacidade. Se perguntam a uma boba algo que ela não sabe ela logo assume: - não sei. Com um sorrisinho brejeiro  como ponto para a frase. Mas se fazem a mesma pergunta a uma sagaz e ela não sabe, ela logo se constrangerá, disfarçará, se odiará por não saber e se punirá se a resposta não parecer razoável. Ser boba tem a vantagem de nunca sofrer esse tipo de pressão.

  É do senso comum a frase: "O mundo é dos espertos", a boba até sabe, mas não liga. Porque simplesmente não interessa-lhe o mundo, porque é sufocante, pesado demais, exigente e aborrecido; responsabilidade que ela deixa para eles, os espertos. A boba só deseja um pouquinho de paz, uns domingos de folga, passeios na praça, passear com o cachorro, ir às festas de criança, saborear uma fruta do pé, assistir ao desfile dos tipos mais diferentes no centro, achar promoção, um café aconchegante recém- aberto, torta de nozes...A boba é generosa e divide o mundo, não o quer  todo para ela.

  A boba não se incomoda com falatório alheio, não quer ter razão a todo custo, não tem uma imagem a ser mantida, porque ser boba não requisita manutenção de título, é, e pronto. Opinião de boba surpreende, quando ouvida, porque pensam que boba não pensa e quando percebem uma ideia bem articulada, já pensam logo que a boba foi influenciada. Mas a boba mesmo, não é manipulada, ela só ouve toda e qualquer opinião sem explicitar seu julgamento. E só mais tarde, faz suas considerações de boba. A boba não faz promessa, ela logo cumpre o que nem prometido foi, faz visita surpresa e leva bolo, biscoitos ou vinho; arranja tempo para jogar cartas com o velho pai, assistir à novela com a mãe e rolar na grama com o filho, sem afetação com a sujeira na roupa. A boba não consulta a agenda, escreve seus compromissos todos num papel na porta da geladeira. 

  Boba não é disciplinada com dieta, nem com qualquer outro tipo de restrição. Obedece aos médicos, mas sempre encontra um meio muito ético de burlar as recomendações profissionais: se é para não comer depois das vinte horas, bebe leite condensado, espera o sorvete derreter; se é para não tomar sol, usa filtro solar e chapéu, mas sai. Porque boba não tem medo, por isso não se sente ameaçada com os conhecimentos científicos. A boba respeita a ciência, mas não se aprofunda e por isso a postura leve e a expressão tão tranquila.

  Alegria maior é isso, de viver como o poeta: é não ter razão, só ser feliz. Minha amiga acordou boba, acho que ela está bem então. Se amanhã ou depois ela me parecer mais esperta, mando mensagem: acorda aquela boba dentro de você! E ela, se for boba o suficiente, compreenderá o conselho e matará a esperta que a escraviza.


PS: É claro que Clarice é melhor!



6 comentários:

Anônimo disse...

Clarice, Amanda... minhas amadas que falam de e para mim, sempre, pq assim eu as leio! hahahaha... Amei!!!

Amanda M. disse...

Sim! Nós falamos constantemente de e para você...você é uma personagem muita rica de nuances! ;)

Unknown disse...

Amei o texto...perfeito para o momento que estou vivendo! Gostaria de postá-lo no meu face, posso?

Amanda M. disse...

Claro! Sempre...rs. Que bom que o texto representou algo...

PS: Costumo compartilhar os textos daqui em uma página do blog no face:
www.facebook.com/pages/Pareço-Louca/652677741412089

Ana disse...

eu preciso ser mais boba, é melhor, faz-nos mais felizes e vivemos melhor, beijos tou fazendo like na página, sou a Ana Serrano

Amanda M. disse...

Vi Ana! Adicionei-a no meu perfil também! ;)